Pesquisa e Desenvolvimento

Com uma das melhores estruturas de pesquisa e desenvolvimento da América Latina, o Estado de São Paulo tem atraído muitas empresas em razão do peso cada vez maior que a inovação vem assumindo como diferencial decisivo no mercado global. Entre os fatores que justificam essa atração, ressalta-se a presença de conceituadas universidades que aliam ensino superior de alta qualidade, núcleos de pesquisa e laboratórios de reconhecimento internacional, com destacada produção em diversas áreas do conhecimento.

Segundo a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), o setor de pesquisa e desenvolvimento do Estado é impulsionado por empresas que, em 2010, investiram cerca de R$ 12 bilhões em atividades internas de pesquisa e desenvolvimento (P&D). Dos R$ 4,5 bilhões investidos pelo conjunto de estados brasileiros no setor em 2010, as universidades públicas estaduais de São Paulo responderam por quase R$ 3,9 bilhões, ou 86% do total. Em 2013, o governo paulista anunciou mais R$ 1,4 bilhão na criação de 17 centros de pesquisa, custeados pelas universidades paulistas e pela Fapesp, que tem por atribuição promover a pesquisa, o intercâmbio e a divulgação da ciência e da tecnologia produzidas em São Paulo.

A Universidade de São Paulo (USP) é a instituição latino-americana mais bem colocada em rankings internacionais de qualidade e respondeu sozinha por quase a metade de todos os recursos investidos em P&D nos sistemas universitários estaduais, de acordo com os Indicadores do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI). Foram R$ 2,2 bilhões em 2010.

Já a Universidade de Campinas (Unicamp) alcançou R$ 1 bilhão, enquanto a Universidade Estadual Paulista (Unesp) recebeu R$ 655 milhões. A Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto aparece na tabela do MCTI com R$ 7,7 milhões aplicados em 2010. A metodologia adotada pelo MCTI abrange os gastos com pós-graduação, atividade das universidades identificada com pesquisa. Cerca de 10% do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) arrecadado é direcionado às três instituições, que possuem autonomia para gerir seus recursos.

Entre as ações direcionadas para inovação, ciência e tecnologia no Estado, também merece destaque o Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec), criado pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDECTI), com o objetivo de promover o desenvolvimento econômico e tecnológico em diversas regiões, por meio de atração de investimentos e geração de novas empresas intensivas em conhecimento.

Por que investir nas áreas de Pesquisa
e Desenvolvimento em São Paulo?

  • O Estado concentra a melhor estrutura do setor na América Latina.
  • Investe 86% do total do País em P&D.
  • Abriga universidades públicas federais, estaduais e municipais.
  • Conta com a USP como a maior e melhor da América Latina.
  • Dispõe de uma rede intensiva de incubadoras e Parques Tecnológicos.

Clique aqui para baixar arquivo em pdf com mais informações sobre o setor.

Fale Conosco

Nós convidamos você a descobrir por que o Estado de São Paulo é a escolha certa para seu negócio. A Investe São Paulo está sempre pronta para atendê-lo de forma rápida, eficaz e gratuita. Saiba como a Agência Paulista de Promoção de Investimentos pode assessorar seu projeto em Nossos Serviços ou entre em contato pelo Fale Conosco.